Bem Vindo, visitante! [ Registe-se | EntrarFeed de RSS

 

 

No Forró na Saida da Cidade

No Forró na Saida da Cidade

Descrição

Num final de semana que minha esposa foi para a casa dos pais dela com nossos filhos, eu sai sozinho para dar uma voltinha. Mas não fui aos barzinhos da moda não, queria algo diferente, então fui para o outro lado da cidade onde não tenho costume de ir e é cheio de butecos no sentido da palavra, os famosos copo sujo. Nesse buteco descobri que fora da cidade, tem um local que o pessoal vai para dançar, que começa por volta de 14 horas sábado e domingo e vai até mais ou menos meia noite, perguntei se era uma zona ou coisa assim, o cara que eu conversava falou que não e me explicou que era um barzinho diferente, que ia todo tipo de pessoas, inclusive garotas de programa, que casais não pagavam para entrar, mas homem sozinho pagava 20 reais.

Entusiasmado com a informação, peguei o endereço, como faria para chegar lá, e decidi que na próxima semana iria lá com minha esposa. Ansiosamente esperei a semana passar, já na segunda feira, quando minha esposa chegou, contei a novidade para ela, que iríamos conhecer esse lugar, aproveitei para dizer a ela que fosse bem sensual. Bom chegou o sábado, mandamos nossos filhos para a casa da minha mãe, que mora em outro bairro aqui da cidade e fomos para lá. Minha esposa foi com um vestidinho curtinho, leve de algodão, sem sutiã, e sem calcinha, ela sempre sai sem calcinha, que é para se exibir, e se rolar algo, para facilitar para o cara olhar a bucetinha dela.

Chegamos lá por volta de 17 horas, já na descida do carro, ela mostrou sua xaninha para o flanelinha, que não acreditou que viu ela sem calcinha. Entramos no bar, e lá era mesmo diferente, era um galpão aberto, mas nos fundos tinha um portão, que de vez em quando a gente via casais indo para lá e, também alguns caras sozinhos. Sentamos em uma mesa, pedimos cerveja e , lógico que a minha esposa ficou numa posição que ela podia se exibir a vontade, enquanto isso o forró corria solto no salão.

Depois de tomarmos alguns goles, e ela se exibindo, apareceu um cara e chamou a minha esposa para dançar, minha esposa foi e o cara já foi juntando ela e no embalo do arroxa foi encoxando ela. Eles dançaram umas três ou quatro musicas, e vi que ela gostava do papo do cara, era um negão alto e forte, que parecia não se importar com minha presença, ou farejava um corno quando via, pois começou a falar as coisas no ouvido dela, e ela foi se entregando, pois ela ficou viciada em piroca preta. Eu observando e sabendo que em pouco tempo ela ia sair dali com ele, pois pelas risadinhas que ela dava e a forma como eles dançavam e ela se esfregava nele, já sabia no que ia dar isso.

Pouco tempo depois vejo ele apontando para o portão nos fundos do galpão, em seguida ele a puxa pelas mãos e seguem para lá, esperei um pouco , pois imaginei que eles estivessem dando uns malhos mais quentes lá. Me levantei da mesa e fui até o porteiro para saber o que acontecia lá nos fundos, ele com um sorriso no rosto me falou que lá era o motel, o ponto de abate, pois os casais iam para lá e ficavam a vontade, ai eu falei com o porteiro que iam tambem alguns caras desacompanhados, ele me explicou que alguns caras deixavam outros verem a transa, ou mesmo tocar ou meter na mulher. Fiquei louco de curiosidade para ver o que minha esposa estava fazendo e fui para lá mais rápido que uma bala, quando passei do portão, ví alguns casais transando numa boa, alguns sozinhos e outros com platéia, procurei minha esposa e lá mais para o fundo eu a vi, de quatro no chão com o vestidinho levantado o negão bombando a xaninha dela e outros três ao lado, ela chupando um e punhetando outros dois.

Então fui para lá, e o cara me falou que era para esperar minha vez, pois era por ordem de chegada rsrs, falei que queria apenas ver. Minha esposa gemia abafado com a rola do cara na boca e o negão bombando nela, depois o negão aumentou a velocidade e avisou que ia gozar, e despejou tudo nela, parou um pouco e sai de tras dela, um dos que estava sendo punhetado tomou o lugar dele e com a xana dela cheia da porra do negão, enfiou o pau nela tambem. Ele bombou e depois mudou, falou que ia meter no cuzinho dela, e retirou seu pau da xana e enfiou no cú da minha esposa, quando ele enfiou ela deu um gritinho de dor e prazer ao mesmo tempo, pois o cara tinha um cacete bem grande, minha esposa começou a rebolar na pica dele e ele gozou no cuzinho dela. Ai foi a vez do terceiro entrar em sua bucetinha, minha esposa continuava de quatro, o cara meteu com força e dava tapas em sua bunda, chamando ela de safada e tudo mais, enquanto isso outros caras chegavam e se preparavam para come-la.

Minha esposa teve que aguentar muita rola, mas saiu de lá satisfeita, e eu saí de lá ainda mais corno, e ainda mais feliz.

ID de Referência do Conto: 64752fee8653b846

    

22230 total de visualizações, 6 hoje

  

Uma Resposta para “No Forró na Saida da Cidade”

  1. Neilson em 21/03/2015 @ 14:21

    linda historia(conto)…queria saber onde e esse forro amigo…

Deixe o seu Comentário

Para entrar em contacto com o autro, preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem para o autor deste conto.

Informações deste Autor

Contos publicados por marido crno

  • O autor não publicou outros contos.
Contos publicados por marido crno »