Bem Vindo, visitante! [ Registe-se | EntrarFeed de RSS

 

 

Meu dono fez um leilão comigo

  • Publicado em: 23/07/2013 18:37
  • Expira: 490 dias, 8 horas
Meu dono fez um leilão comigo

Descrição

Numa sexta-feira a noite, meu Dono me chamou e ordenou que eu me arrumasse, deveria colocar uma roupa bem sexy e estar bem cheirosa que nós iríamos sair.

Tomei um banho bem demorado, coloquei uma calcinha branca fio dental e um vestidinho branco bem curtinho e decotado, que deixava à mostra meus seios. Fiz uma maquiagem leve, passei um óleo bem cheiroso pelo corpo, inclusive na bucetinha.

Meu Dono já me esperava na sala, ele ficou me olhando de cima abaixo, levantou meu vestido, olhou para mim com cara de bravo e me deu um tapa na cara e disse:

- Sua cadela, vagabunda, tira essa calcinha eu disse que queria que vc ficasse bem sexy!

Tirei a calcinha e nós saímos  Chegamos a um barzinho, só tinha homem lá, sentamos em uma mesa, onde tinha vários amigos dele e até alguns amigos meus da faculdade, que me olharam de cima a baixo e quase começaram a babar. Meu Dono pediu silencio no bar e disse:

- Estão vendo essa cadelinha que eu trouxe? Ela é minha escrava e faz tudo que eu mandar!

Olhou para mim e disse:

- Vem de quatro aqui pro seu macho sua puta!

E eu fui, de quatro sem calcinha e como meu vestinhinho branco bem curtinho, todo mundo começou a assobiar e me chamar de gostosa. Meu Dono pediu novamente silencio e disse:

- Esfrega sua cara no meu pau, por cima da cueca sua piranha!

E eu o fiz, depois ele mandou eu abaixar sua cueca e chupar seu pau, eu já estava a ponto de bala de tão exitada, doida para receber o pau do meu Dono na minha buceta, comecei a chupar aquele pau grande e enorme até ele gozar. Gozou um pouco na minha boca e o resto no chão, foi aí que ele me deu um tapa na cara e disse:

- Sua vagabunda! Sujou o chão do bar coma minha porra, cadela, limpa tudinho!

E eu de quatro no bar cheio de homens comecei a lamber aquele chão todo sujo até não ter mais nem uma gotinha da porra do meu Dono. Depois de eu ter limpo tudo, meu dono me ajudou a levantar e disse:

- Viram como ela me obedece? Essa é minha escrava! E como eu não sou egoísta  essa noite um de vocês terá direito a usufruir dela. Farei um leilão e quem der mais leva, pagamento à vista e antecipado. Pode fazer com ela o que quiser, mas devem me devolver ela viva e não muito machucada no dia seguinte!

Eu estava no céu, ser humilhada e exibida daquele jeito me excitava muito, e ainda ver todos aqueles homens ali babando e de pau duro por mim, adorei a ideia, pois faço tudo por sexo. Começou então o leilão, foi uma confusão danada, até que um senhor de seus 55 anos deu o lance mais alto de R$ 5.000,00. Meu Dono recebeu o cheque e me entregou a ele e disse para eu servir bem o seu amigo. Olhei para aquele senhor e ele me puxou pelo cabelo me levando até seu carro.

Chegamos num motel ali perto, pois o cara tava quase gozando só de ter visto o que meu Dono tinha feito lá no bar que já não aguentava mais, entramos no quarto, ele começou a tirar a cinta de suas calças, mandou eu tirar meu vestido e começou a me bater. A cada cintada que ele dava eu agradecia, ele mandou eu baixar suas calças e chupar seu pau, quando eu tirei suas calças quase desmaiei, ele deveria estar uns dois dias sem tomar banho e o cheiro era insuportável. Ele percebeu minha cara de nojo e começou a me bater mais ainda, até que eu tomei coragem e enfiei aquele pau sujo na minha boca, e comecei a chupar.

Ele estava ficando cada vez mais excitado e me batia com a cinta até gozar na minha boca. De repente sinto um jato quente em cima de mim e vejo ele mijando em mim, manda eu abrir bem a boca e beber seu xixi. Depois ele manda eu dar um banho nele, eu começo a ensaboa-lo todinho e sinto seu pau se recompondo na minha mão. Ele se seca, diz para eu terminar meu banho e vir para cama depois. Quando eu termino meu banho e vou para cama ele me manda ficar de quatro e diz que quer comer meu cuzinho a seco, fico apavorada, pois meu Dono sempre usava algum lubrificante

Ele começa a penetrar e doeu muito, ele começa a me bater e dizer para eu rebolar. Começo então a rebolar naquele cacete até entrar e ele começa a bombar cada vez mais forte até gozar. Ele sai de cima de mim e vai para o banheiro, eu fico deitada ali naquela cama até que ele me chama no banheiro e diz:

- Acabei de fazer coco e quero que você limpe minha bunda com sua língua!

Fiquei muito excitada com aquilo e comecei a lamber seu cuzinho até ficar bem limpinho. Ele sai e vai para a cama, eu escovo meu dentes e me deito ao seu lado e começo a lhe fazer carinho, a beijar seu corpo todo cabeludo até que sinto seu pau duro de novo e ele diz:

- Realmente você é uma escrava bem obediente, quem me dera ter uma escrava assim. Agora vai lá em baixo e faz seu serviço!

Ficamos a noite inteiria trepando no dia seguinte ele me leva para casa, meu Dono me recebe e me leva para o banheiro e mija em mim e diz que tava apertado, mas tava segurando pois sabe que eu gosto. Depois do banho, servi o café da manhã para eu Dono e fui servi-lo sexualmente, pois meu Dono é uma máquina de fazer sexo, não se cansa nunca, e eu o amo muito, adoro servi-lo, ser humilhada, apanhar e tudo mais, adoro ser seu objeto, seu brinquedo!

ID de Referência do Conto: 35951eecd831dda3

      

5515 total de visualizações, 8 hoje

  

Deixe o seu Comentário

Para entrar em contacto com o autro, preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem para o autor deste conto.